A Coreia do Norte é um país bastante curioso, que vive chamando atenção por seus líderes pouco abertos ao diálogo, abusos e pelo constante risco de ataques. Entretanto, certamente você não sabe tudo sobre esse obscuro país asiático . Essa lista mostra 16 leis ridículas impostas na Coreia do Norte, e que você não encontra em nenhum outro lugar do mundo. Confira:

1. Inspeções minuciosa

Se você pensa em visitar a Coreia do Norte, esteja preparado para abrir mão quase completamente da sua privacidade. Assim que você atravessar a fronteira, será revistado minuciosamente, e terá recolhido celulares, câmeras (se suas lentes forem superiores a 150mm), chips de telefone, notebooks e etc. Até mesmo o conteúdo de seus aparelhos eletrônicos podem ser analisados, e você só poderá recuperá-los quando estiver deixando o país.

2. O Governo está lhe observando

O controle sobre os turistas é levado muito a sério pelos norte-coreanos. As pessoas que visitam o país são acompanhadas por guias oficiais, e devem seguir todas as instruções. Você não pode, por exemplo, falar com um morador local ou comprar qualquer coisa fora das lojas destinadas a turistas. O que chega a ser ainda mais bizarro é que existem rodovias, rotas e até mesmo ônibus específicos para evitar o contato entre moradores e turistas.

3. Manutenção de resíduos

Resíduos humanos são bastante valorizados na Coreia do Norte principalmente por conta do terreno do país. Com muitas montanhas, e um inverno bastante longo, a prática da agricultura acaba sendo complicada, e bastante adubo é necessário para o bom funcionar da atividade. Por isso, quando a Coreia do Sul parou de enviar adubo para a Coreia do Norte, o governo resolveu a questão com fezes humanas. As fábricas possuem metas a serem atingidas na produção de fezes, e até mesmo as pessoas são encorajadas a produzir o máximo possível. Além disso, existem até mercados negros que comercializam o valioso produto.

4. Poucos cortes de cabelo permitidos

Já reparou que os norte-coreanos quase sempre ostentam cortes de cabelo semelhantes? Não é apenas coincidência. Quando Kim Jung-Un assumiu o poder em 2013, ele introduziu no país uma lista com os cortes de cabelo que seriam permitidos para os norte-coreanos. Os homens podem escolher de uma lista de 10 estilos, enquanto as mulheres possuem 18 opções.

5. Nada de religião 

Não há espaço para a religião na Coreia do Norte. O líder supremo Kim Jung-Un diz que os civis não devem ser corrompidos pelas ideologias do ocidente, e por isso as práticas religiosas são proibidas por lei. Há registros de execuções públicas praticadas contra pessoas que distribuíam cópias da Bíblia, ou realizando outras atividades religiosas. Um turista americano também já foi preso por seis meses por esquecer uma Bíblia em um clube.

6. Viagens proibidas para moradores locais

Direito de ir e vir? Coisa do ocidente. Na Coreia do Norte, os moradores locais são proibidos de sair da sua cidade natal sem a permissão do governo. A não ser que você seja parte da elite, ou um oficial do governo, você precisa de uma autorização formal e impressa antes de deixar sua terra natal. Mesmo com os papeis assinados, no entanto, viajar não é assim tão fácil. Os trens são limitados à elite, bem como o direito de ter um carro.

7. O governo escolhe onde você mora

Os norte-coreanos sequer têm a possibilidade de escolher onde querem morar. Sua localização é determinada pelo governo a partir da sua classe social e relacionamento com o governo. Assim como outras leis, essa reforça o sistema de segregação que Kim defende como uma forma de defender a estabilidade política. A cidade de Pyongyang, em particular, é estritamente reservada para a elite absoluta. Patrulhas militares garantem que as classes inferiores permaneçam fora das fronteiras.

8. Maconha liberada

Ok, agora é a hora que você se surpreende. A maconha é proibida na grande maioria dos países ao redor do mundo, e vista como uma droga. Mas não na Coreia do Norte. Não existe nenhuma lei que criminalize o porte, comércio ou uso de maconha. Ela não é vista pelo governo norte-coreano como uma droga, e é comum ver pessoas fazendo uso da planta no país.

9. Louvor a Kim e ao Estado

Toda ditadura tem seu próprio culto de personalidade, e a Coreia do Norte não é uma exceção. Tudo que desrespeitar a imagem da família Kim, o Governo da Coreia do Norte ou os trabalhadores do Partido da Coreia pode ser considerado blasfêmia. Mesmo sendo um turista há a chance de você ser executado se cometer alguma irregularidade em relação a esses três poderes.

Propagandas dedicadas a Kim Jung-Un, Kim Jung-II e Kim-II-Sung estão literalmente por toda parte, com posteres, estátuas e etc. A supremacia do líder é reconhecida pelo sistema legal. Ele está acima do partido dos trabalhadores do país, bem como as leis civis e também a Guerra civil.

10. Eleições nada democráticas

A Coreia do Norte, por lei, realiza eleições para escolher seu líder. Entretanto, o bizarro é que quase sempre há apenas um candidato: Kim Jong-Un. Quando existe outro candidato, trata-se normalmente de um ator contratado pelos Kims para perder deliberadamente. O método de vétodo também é intrigante: os moradores locais riscam os nomes dos candidatos que não apoiam. E como você deve imaginar, riscar o nome de Kim é considerado um sério ato de desrespeito e pode ser punido até mesmo com morte.

11. Castas

Não existe mobilidade social na Coreia do Norte, já que sua classe (ou casta) é decidida pelos Kims desde antes do seu nascimento. Em 1957, para aumentar o controle sobre seu país, Kim Il-Sung introduziu um sistema de classe social abrangente que categorizou seu próprio povo em três classes – o “núcleo”, os “vacilantes” e os “hostis”. Sob seu sistema, a classe de alguém é completamente determinada pelo histórico da família em relação à sua lealdade em relação aos Kims.

12. O pior crime é escapar

Com tantas leis e regras abusivas, é natural que muitas pessoas pensem em sair do país. Entretanto, qualquer um que tentar deixar as fronteiras da Coreia do Norte será fuzilado pelos guardas. Os Kims entendem a vontade de deixar o país como um desrespeito máximo, que deve ser punido da forma mais dura. Isso também evita que fugitivos liberem informações sobre o país para o resto do mundo. Apesar da proibição, a Coreia do Norte está enfrentando uma crise de refugiados. Todos os anos, milhares de pessoas ainda arriscam suas vidas para escapar do ditador. Desde os anos 1950, mais de 24 mil pessoas se refugiaram na Coreia do Sul. Outras pesquisas indicam que mais de 200 mil norte-coreanos se escondem nas montanhas e áreas rurais da China.

13. Três gerações de punição

Poucas coisas são mais bárbaras do que a lei das “Três Gerações de Punição”, praticada na Coreia do Norte. Se um norte-coreano comete algum crime sério (praticamente qualquer um), três gerações suas serão punidas. Essa lei normalmente é aplicada para infrações políticas, como ofensas ao líder supremo, por exemplo. Nesse caso, seus avós, pais e filhos podem encarar as consequências. Existem casos de famílias inteiras e até mesmo vilarejos sendo publicamente executados por conta de crimes “leves” aos olhos do ocidente. Alguns especialistas políticos dizem que esta lei tem o intuito de evitar prisioneiros de escapar de campos de trabalho, já que se você escapar, sua família é que vai pagar a conta.

14. Ser estadunidense pode ser ilegal

A tensão política histórica entre Coreia do Norte e Estados Unidos chegou a níveis tão altos que os coreanos encaram os americanos como seus piores inimigos. Na última década, pelo menos 16 turistas estadunidenses foram presos. Otto Warmbier, por exemplo, foi um estadunidense preso em solo norte-coreano por ter roubado um pedaço de propaganda do governo local, como uma espécie de “troféu”. Os órgãos de segurança dos Estados Unidos sugerem, de forma oficial, que os estadunidenses não viajem para a Coreia do Norte.

15. Regras próprias para o basquete

Os norte-coreanos (pelo menos o Governo) tendem a não confiar em nada relacionado aos Estados Unidos. Entretanto, são grandes praticantes de basquete – esporte inventado pelos estadunidenses. Mas como já era de se imaginar, os norte-coreanos inventaram regras e critérios próprios para a prática do esporte. As regras alteram principalmente o sistema de pontuações.

16. Nada de produtos capitalistas

O sistema socialista da Coreia do Norte despreza tudo o que é capitalista, e por isso qualquer coisa potencialmente influenciada pelo ocidente é estritamente proibida no país. A cultura ocidental é considerada perversa, e qualquer objeto que pertença a ela pode ser confiscado, e seus detentores enviados para campos de trabalho – onde exercem funções extremamente desgastantes, e muitas vezes acabam morrendo. O jeans azul, por exemplo, é considerado “propaganda capitalista”, e nesse mesmo rótulo se encaixam cd’s, dvd’s e literatura ocidental. A Agência Nacional de Segurança da Coreia do Norte ganhou manchetes ao redor do mundo recentemente por ter atacado um vilarejo inteiro por alegações de que seus moradores estavam assistindo dvd’s sul-coreanos.


Via: Mistérios do Mundo