O establishment promove a ideia de inevitabilidade do comunismo por meio da perversão dos termos usados para descrever espectro político. Eles afirmam que à extrema-esquerda está no comunismo, é um governo ditatorial confesso. Porém, diz que é preciso temer o oposto, a extrema-direita que recebe o protótipo de fascista.

A todo o momento estamos sendo instruídos para ficar ‘no meio do caminho’, onde segundo eles está a democracia que no vocabulário do establishment é o socialismo fabiano, um exemplo de falsas alternativas.

A escolha que nos dão é entre o comunismo (socialismo internacional) em uma ponta do espectro, nazismo (socialismo nacional) e no meio o socialismo fabiano. Todo espectro é socialista. Ainda segundo Allen e Abraham, eles excluem os anarquistas, os defensores da república constitucional e sistema de livre-iniciativa.

Quem quer que ‘jogue’ contra o adeptos do establishment será alvo da artilharia constante, isso porque o establishment controla a mídia. Assim que funciona a ameaça de perda da respeitabilidade social que se existe organização por trás dos problemas do momento.

 

Fonte: Livro Política, ideologia e conspiração; Gary Allen e Larry Abraham; Traduzido por Eduardo Levy; Pag. 23/25; Ed. Faro Editorial