A internet, uma das grandes maravilhas do mundo atual, é uma invenção relativamente nova. Ela surgiu em meados do século 20, para fins militares, e acabou se espalhando pelo mundo e se tornando essa super potência que conhecemos agora.

Acontece, no entanto, que um visionário belga, chamado Paul Otlet, no final do século 19,  já idealizava algo muito parecido com nossa web. Segundo registros históricos, sua maior ambição era catalogar e armazenar informações que poderiam ser acessadas por qualquer pessoa no mundo.

Em seu projeto inicial, de 1895, Otlet apresentou a ideia de esquematizar uma “biblioteca universal” que reuniria todas as informações publicadas até aquela época. Ele chegou a ganhar apoio do governo belga para a realização da tal façanha e, juntamente com um amigo, o visionário conseguiu armazenar 15 milhões de entradas, usando um sistema muito engenhoso para seu tempo, chamado de Classificação Universal Decimal.

Apesar da dificuldade que enfrentava devido à pouca tecnologia disponível, o projeto de Otlet chegou a ser lançado comercialmente e qualquer pessoa podia pedir informações sobre vários assuntos e recebê-las por telégrafo. Mas, esse processo não se mostrou viável por muito tempo.

A segunda tentativa do idealizador, nesse sentido, veio décadas mais tarde, em 1930. Ele idealizou os chamados “telescópios elétricos”, que dariam acesso instantaneamente a livros, filmes, gravações de áudio e fotos. Isso envolvia uma rede internacional de conhecimento, que foi ilustrada em um livro de 1935, para mostrar como seria construída:

Mas, por infelicidade do destino, esse “vislumbre” de Otlet não chegou nem a sair do papel. Seu sonho teve fim com a temida invasão nazista, que tomou conta da Bélgica na década de 1940. Depois disso, ele não viveu por muito tempo e acabou falecendo em 1944.

Apesar dos pesares, tempos mais tarde, a humanidade conseguiu criar essa rede idealizada por Otlet. O que chamamos hoje de internet contou, indiscutivelmente, com a ajuda do belga, que tinha o grande desejo de unir, em um só lugar, toda a sabedoria do mundo.


Via: Fatos Desconhecidos