Quando crianças, muitas vezes, temos contato com as mais diversas histórias mitológicas, como Hércules, Zeus, Odin, Loki, Thor, Afrodite, entre tantos outro personagens. Em sua maioria ouvimos/lemos/assistimos as mais diversas histórias sobre a vida de cada um deles, e o que lhes une.

Na escola mesmo, conhecemos as mais diversas histórias sobre esses deuses, mas de uma forma bastante diferente. Claro que, se lermos as Metamorfoses de Ovídio, nos daremos conta de que algumas histórias são contadas com alguns detalhes que consideraríamos ‘adulto’.

Precisamos lembrar que não temos o intuito de criticar, julgar, muito menos impor verdades absolutas. Por isso o conteúdo dessa matéria se destina a aqueles que se interessarem e/ou identificarem. Sendo assim, selecionamos uma listinha com 6 histórias de deuses mitológicos, só para adultos.

1 – Hórus e Seth

Uma história bastante peculiar, originária do Egito. Quando Horus assumiu o trono, Set não ficou muito feliz, quem havia assassinado Osiris, seu irmão e pai de Horus. Set elaborou um plano para tirar de seu sobrinho o direito de governar, decidindo atacá-lo sexualmente durante a noite.

Entre os egípcios, assim como em outras culturas orientais, as relações homossexuais eram aceitas para o homossexual ativo (associada ao masculino), mas não para o passivo (associada ao feminino). Ou seja, o ato de Set seria de imensa humilhação para Horus.

No dia seguinte, aconselhado por Isis, sua mãe, Horus pegou o sêmen de Set e colocou na comida preferida do tio, que comeu sem qualquer advertência. Quando se colocaram perante aos juízes para decidir a quem pertenceria o trono. Ao analisarem ambos casos e, sabendo que o sêmen estava no estômago de Set, Horus foi exonerado e seu tio desonrado.

2 – O falo alado

Se tratava de um deus adorado pelos romanos, sendo a personificação da magia e da religião da antiga Roma. Plínio, o Velho o chamava de medicus indidiae, ou seja, remédio para inveja/mau olhado. Se referia a Fascino, uma divindade que protegia os guerreiros da inveja.

Os generais colocavam sob seus carros – carruagens, carroças – um pequeno amuleto que representava um falo alado, no intuito de proteção, tornando esse objeto uma espécie de talismã.

As vestais – sacerdotisas que cultuavam a deusa romana Vesta – também mantiveram o culto de Fascino, e Agostinho relatou que a imagem fálica fora levada em procissão, todos os anos, durante a festa Liber Pater – deus romano identificado como Dionísio – para proteger os campos de fascinatio(encantamentos, feitiços…).

3 – Os centauros

Os centauros eram criaturas com dorso, braços e cabeça humanos, enquanto seu corpo e pés eram de cavalo. Eram filhos do deus Ixion com Neféle, uma ninfa a quem Zeus deu a forma de Hera, já que Ixion queria estuprá-la. Um dos centauros, Neso, em crise de luxúria, tentou violentar Deyanira, a esposa de Hércules.

Este o viu ao longe e lançou uma flecha envenenada acertando o peito de Neso, que em seu último ato de maldade disse a Deyanira que seu sangue era uma poção do amor e que se ela a usasse com Hércules ele lhe seria para sempre fiel.

Mas, antes, era preciso misturar o sangue com o sêmen de Neso. Em um determinado momento, quando Deyanira perdeu a confiança em Hércules, colocou em sua túnica o sangue de Neso, na crença de que aquela poção funcionaria. Porém, o efeito foi muito pior do que poderia se imaginar, resultando na morte do herói, pois a túnica lhe queimou a pele.

4 – Loki e Skadi

Skadi, a deusa do inverno e da caça com arco, filha do gigante Thjazi, que foi assassinado pelo clã Æsir, os deuses germânicos. Quando Skadi foi para Asgard, com o objetivo de se vingar, Odin ofereceu transformar os olhos de seu pai em estrelas e se ela quisesse, um deus para se casar; o problema era fazê-la rir.

Então, Loki conseguiu que ela soltasse um sorriso, para isso, ele precisou amarrar a ponta de uma corda na barba de uma cabra e a outra em seus testículos; cada um começou a puxar para seu lado e a gritar como loucos, até que Loki caiu no colo de Skadi, fazendo-a rir. Foi quando Odin soube que o problema com a deusa estava resolvido.

5 – O nascimento de Afrodite

Urano, filho e marido de Gea, a seu pedido, foi castrado por seu filho Cronos, numa noite em que queria ter relações sexuais com Gea. Cronos, então, com uma foice fabricada pela deusa, castrou Urano e jogou os órgãos genitais de seu pai no oceano. Ai cair no mar, uma espuma branca se formou – o sêmen de Urano – dela surgindo Afrodite. Na verdade, Afrodite é a deusa do amor e da fertilidade, sendo associada ao mar. Se nome grego é relacionado com aphros, espuma, “saída da espuma”, aludindo ao mito de Cronos e Urano.

6 – Priapo

Embora não seja tão desconhecido, Priapo não é frequentemente nomeado nas histórias de deuses mitológicos. Era um deus grego, de acordo com algumas versões, filho de Afrodite e Adonis, de acordo com outra, de Afrodite e Dionísio, e outras ainda dizem que ele era filho de Dionísio e um Naiad. Priapo andava com potente e permanente ereção, o que deu nome a uma doença masculina que causa os mesmo efeitos, priapismo.

Ele “sofria desse mal” por uma maldição posta por Hera, por seu descontentamento com o comportamento inconstante de Afrodite. Então, Hera a tocou e fez com que a deusa do amor desse à luz um filho incrivelmente feio, e com genitais extremamente grandes. De fato, ele é representado como um homem muito feio de pênis (muito) grande. É um deus puramente fálico, protetor dos rebanhos de ovelhas e cabras, hortas, do vinho, das abelhas e até mesmo da pesca.

Então pessoal, o que acharam dessas histórias? Já conheciam essas versões adultas? Encontraram algum erro na matéria? Ficaram com dúvidas? Possuem sugestões? Não se esqueçam de comentar com a gente!


Via: supercurioso