Esses bárbaros navegantes escandinavos invadiram e atacaram as Ilhas Britânicas além de armarem um “caos” na Europa nos séculos IX e XI. Mesmo que imaginemos muita coisa sobre os vikings, nessa matéria iremos descobrir alguns segredos que mostram a realidade sobre esse povo curioso. Veja 10 delas:

10 – Os vikings não usavam capacetes de chifres

Esqueça tudo que os filmes e as séries te mostraram sobre os vikings: é isso mesmo. Obviamente eles usavam capacetes junto com suas armaduras, porém as descrições da Era Viking, nos provam o contrário – seus capacetes não tinham chifres.

Essa “tendência” surgiu apenas no século XIX por inspirações de pintores retratavam os vikings desta forma, talvez sob inspiração das  descrições feitas pelos antigos gregos e romanos sobre esses europeus do norte. Esse tipo de capacete era utilizado muito antes dos vikings por padres nórdicos e germânicos que em cerimônias religiosas que faziam o uso deste apetrecho.

9 – A higiene dos Vikings não era tão ruim assim

É muito comum em filmes os vikings estarem extremamente sujos e surrados,  com barcos a remo cheio de mortos putrefatos dentro, não é verdade?

Tudo isso é mentira: algumas escavações em locais vikings mostraram que eles dispunham de lâminas de barbear, pentes e limpadores de ouvido feitos de ossos e diversos itens para sua higiene pessoal.

Eles tomavam banho uma vez por semana, principalmente em fontes termais – o que era muito diferente dos europeus da época, que passavam até meses sem banho.

8 – Os vikings tinham um método peculiar de fazer fogo

Os vikings tinham uma maneira peculiar de fazer fogo: o excremento humano. Um fungo chamado “touchwood” da casca das árvores fervido na urina era capaz de criar uma ardência extrema, devido o nitrato de sódio obtido dessa reação. Por isso eles podiam literalmente “carregar” o fogo e ai de quem fosse o alvo em que esse fogo precisasse ser usado!

7 – Os vikings eram “enterrados” em barcos

Os vikings adoravam seus barcos e um grande sinal de honra era ser enterrado em um deles. Por isso, havia uma crença de que a embarcação ajudaria o indivíduo a chegar do outro lado, no além.

Na religião nórdica era comum até a celebração e muitas vezes o barco poderia estar cercado por armas, bens valiosos e escravos antigos sacrificados para que pudessem os servir os indivíduos após a morte.

6 – O tráfico de pessoas era muito comum

O povo viking ficou rico principalmente por causa do tráfico de pessoas. Enquanto saqueavam cidades, eles raptavam jovens dos povoados anglo-saxões, célticos e eslavos. Essas pessoas se tornavam escravas e eram vendidas por toda Europa e Oriente Médio, onde havia um intenso mercado de escravos.

5 – As mulheres tinham direitos

Ao contrário do que se pensava, as mulheres vikings tinham muito mais liberdade do que as outras da época. Elas se casavam com apenas 12 anos e deveriam cuidar da casa enquanto o marido estava fora. Porém elas podiam herdar propriedades, pedir o divórcio e também reaver seus dotes após o fim do casamento.

4 – A maioria dos vikings trabalhava como fazendeiro

Para sua decepção, boa parte dos vikings não carregava espadas: a maioria deles era pacífica e cultivava centeio, cevada e aveia, além de criar gado e outros animais.

3 – Os vikings se divertiam com esqui

Os escandinavos desenvolveram uma espécie de esqui primitivo, que era muito usado pelos nórdicos para, além de se transportarem, se divertirem.

2 – Havia ideais de beleza

E esse ideal não era tão diferente do ideal moderno de beleza: os cabelos loiros e a pele clara. Por isso, os vikings morenos usavam um “sabonete” poderoso com um teor alto de soda cáustica e assim descoloriam seus cabelos e pelos.

Suas barbas também eram mais claras e além dessa propriedade da soda cáustica de clarear os cabelos, os piolhos também eram evitados.

1 – Os vikings não eram unidos

Pelo contrário do que se pensa, eles não reconheciam seus próprios companheiros vikings e menos ainda se chamavam de vikings.

O termo viking designa os escandinavos que partiam para expedições oceânicas apenas. Por isso era comum povos se encontrarem e lutarem entre si, mesmo que eles possuíssem o mesmo objetivo.


Fonte: History